Quando se descobre paixão é gostar tanto que dói...

Amar é não ter certeza de ser amado de volta. É viver na corda bamba da incerteza. É criar mecanismos de defesa... é ter sempre a desconfiança de esse amor nunca vai acabar, mas o ser amado o deixará de amar no dia seguinte; ou depois de voce ter cometido o pior erro do mundo. Como é se entregar a esse vazio chamado de amor? É vazio por que a busca é diária e como um homem no deserto que nunca tem sua sede saciada... esse amor que não se extingue, mas queima a cada olhar. Como viver isso que acaba com a nossa paz, que faz eco dentro dentro de nós, que nos resume a escravos? Que amor é esse que nunca preenche, que dói tanto que as lagrimas não são suficientes para aplacar a dor? Que dor é essa que nos faz render toda a vontade... nos expor de verdade toda a tristeza desse amor? O que resta de nós depois de algo assim... o vazio que devora o vazio. Um buraco negro sem fim que devora a si próprio e se acaba? Ou os pedaços ficam assim tortos em busca do encontro das partes que formarão de novo o coração que já está retaliado com tantos dissabores... que amor é esse, que não se acaba? Que apenas decidiram por esquecer? Acredito que isso não é amor, é uma paixão, que na verdade é gostar tanto que dói ...

Postagens mais visitadas deste blog

Decisão

Transformação

Bobagens da decepção